Sob a credencial de grande produtora de goiaba, Brazlândia realiza, de amanhã até domingo, um evento inédito que visa incentivar a cultura do fruto tropical. A 1ª Festa da Goiaba será realizada, com entrada gratuita, na Associação Rural e Cultural Alexandre de Gusmão (Arcag) — Área Especial, Km 13, BR-080.

Segundo os organizadores, a ideia é divulgar a produção da região, estimular o consumo da fruta, atrair novos mercados, além de promover a integração entre os produtores, com a troca de informações técnicas acerca da cultura. A programação também contará com minicursos gastronômicos, degustação de produtos e shows musicais com duplas sertanejas e a banda Pileke. “Temos tudo para despontar, num futuro próximo, entre os maiores produtores de goiaba do Centro-Oeste. Mesmo sendo uma cultura perene, cuja colheita só acontece depois de três ou quatro anos, temos todo o potencial para isso. E uma festa como essa serve justamente para divulgar a atividade, abrir janelas de negócios e atrair mais produtores”, assinala Takao Akaoka, presidente da Arcag.

Atualmente, a região de Brazlândia produz cerca de 4.200 toneladas de goiaba por ano, em uma área de plantio de aproximadamente 140 hectares, de acordo com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-DF). Conforme o órgão, cada hectare significa 30 toneladas da fruta. Para o secretário da Agricultura do DF, José Guilherme Leal, o evento, embora de caráter festivo, será a melhor forma de dar visibilidade a um produto de qualidade e com enorme potencial comercial.

Colônia japonesa
Criada no fim dos anos 1970, a Arcag acolhe cerca de 40 produtores em Brazlândia. À frente das atividades da entidade, que envolvem culturas diversas, estão descendentes de japoneses, que chegaram à capital da República pouco mais de uma década após a sua construção. Atualmente, 150 famílias de traços orientais tiram o sustento da lavoura.

O produtor Yukio Yamagata, 62 anos, é testemunha dessa época. Nascido no Japão e radicado em São Paulo até os 6, desembarcou em Brasília em 1973, na companhia dos pais. O gosto pela terra começou desde que o casal plantava verduras em Itu, no interior paulista. “Aprendi tudo em família. Quando chegamos aqui, havia pessoas de outras regiões do país. Mas a maioria só sabia plantar mandioca. Fomos pegando o jeito de trabalhar a terra e começamos a plantar outras coisas”, conta.

Yamagata hoje é considerado um dos maiores produtores de goiaba de Brazlândia. À frente de uma propriedade de 30 hectares, o negócio emprega diretamente 20 pessoas. Com uma plantação em torno 7 mil goiabeiras, o produtor colhe, em média, 1 tonelada do fruto a cada safra. E agradece o sucesso da empreitada: “Tudo o que conquistei, devo a esse solo do Cerrado. Apesar de o período de seca exigir maior cuidado e manejo na lavoura, com paciência, conseguimos colher o que plantamos”.

Fonte: Correio Brasiliense – https://goo.gl/aB1kVL